02 de Janeiro, 2018

Daerp reduz perdas de água em 11,25%

As perdas caíram de 40,10% em dezembro 2016 para 37,36% em 2017; redução de perda é de 594,5 milhões de litros de água por mês. 

Em 2017, o Daerp conseguiu reduzir as perdas físicas de água em 11,25%. A perdas caíram de 40,10% em dezembro de 2016 para 37,36% em setembro de 2017. Houve uma redução de 4,74 pontos percentuais, isto representa uma queda na perda de água de 594,5 milhões de litros por mês.

Este volume é suficiente para abastecer mensalmente uma cidade de 104.482 habitantes, semelhante a Sertãozinho, levando em consideração o consumo médio do Brasil, que é de 187 litros por habitante/dia.

O Daerp está fazendo o acompanhamento mensal das perdas no sistema para acompanhar o resultado das ações que estão sendo implantadas na cidade e que já começam a apresentar resultados concretos.

Mudança no sistema

O Daerp vem realizando uma série de mudanças no sistema de abastecimento em Ribeirão Preto, no sentido de melhorar a qualidade deste abastecimento, principalmente com a inversão na forma como a água chega na maioria dos imóveis na cidade. Nas últimas décadas foi implantado um sistema de abastecimento em marcha, onde a água bombeada do Aquífero Guarani é injetada diretamente na rede de distribuição e as sobras, quando ocorrem, é enviada para os reservatórios. Quando o correto é a água ser jogada diretamente dos poços para os reservatórios e destes distribuídos por gravidade para os imóveis. Este sistema permite a redução do número de vazamentos na rede, assim como reduz o consumo de energia elétrica.

Na região do Jardim Paulista, Parque Bandeirantes e Jardim Paulistano foi executada uma extensão de rede com aproximadamente 300 metros de comprimento na rua Iguape, que passou a jogar água diretamente nos reservatórios e distribuída para os imóveis.

O Daerp também vem fazendo o trabalho de setorização e inversão do sistema em outras regiões da cidade como na City Ribeirão, no Jardim Paiva, onde foi construída uma rede de 400 metros na parte mais alta permitindo sair direto do reservatório para os imóveis. Também foram equacionados os problemas de abastecimento nas regiões da Cidade Universitária, assim como no Alto da Boa Vista e Sumaré, onde a falta d’água foi reduzida a reclamações pontuais.

No Parque Ribeirão, o Daerp está realizando também um trabalho de levantamento de toda a rede, poços e reservatórios, dentro de um trabalho de setorização que está sendo implantado na região, assim como a inversão do sistema.

Na região da Quinta da Primavera o Daerp também realizou uma grande intervenção, em dezembro, para a inversão do sistema de abastecimento e ampliando o volume de água produzido. Além da troca da bomba e do painel no poço da Quinta da Primavera, que aumentou a vazão de 140 metros cúbicos por hora hora para 250 metros cúbicos por hora, foi construída uma nova rede de entrada juntos aos reservatórios e instalada uma bomba de recalque mais potente.

Com estas mudanças o sistema, que também era em marcha (injetado direto do poço para a rede), passou a ser distribuído dos reservatórios para a rede, por gravidade. Este foi o sexto sistema modificado este ano.

“Com o esforço de toda a diretoria estamos recuperando a credibilidade da autarquia com austeridade e muito trabalho, o que se comprova pela recuperação do fluxo de caixa e pelas últimas medidas de engenharia que redundou na redução das perdas e diminuição do número de reclamações tem mostrado que estamos no caminho certo”, afirmou o superintendente da autarquia, Afonso Reis Duarte.

 

Fonte: Daerp 

Imagem: Internet

 

Última modificação em Terça, 02 Janeiro 2018 14:35
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2021 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação