04 de Dezembro, 2019

Saneamento que dá certo: Poços de Caldas

Com 54 anos de história, o DMAE caminha para o tratamento de 100% dos esgotos coletados na cidadeO Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) de Poços de Caldas, em Minas Gerais, se destaca nacionalmente como referência para o setor de saneamento básico. Com 54 anos de história, a autarquia caminha para o tratamento de 100% dos esgotos coletados na cidade, investindo em tecnologia, capacitação e saneamento rural. Por isso, a Assemae tem a satisfação de apresentar nesta semana a experiência exitosa de Poços de Caldas.

A série de reportagens publicada pela Assemae tem como objetivo dar evidência aos associados da entidade, destacar a qualidade dos serviços municipais e subsidiar as discussões sobre o processo de revisão do marco legal do saneamento básico. Confira a experiência de Poços de Caldas:

DMAE Poços de Caldas: em busca da universalização dos serviços

Poços de Caldas, localizada no sul de Minas Gerais, com cerca de 152 mil habitantes, tem hoje mais de 74 mil imóveis recebendo água tratada, além da captação do esgoto em todos os bairros. A cidade conta ainda com três Estações de Tratamento de Água, 31 Elevatórias de Água Tratada, sete Boosters, 52 reservatórios, três Estações Elevatórias de Água Bruta e dois filtros. A responsabilidade por toda essa estrutura e complexidade é do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE)- autarquia com 54 anos de história e que, em busca da excelência, caminha em direção ao tratamento de 100% do esgoto e universalização dos serviços. Para isso, está prevista para março/2020, a inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) I Antas, com capacidade para tratar 320 l/s, que, somada às atividades das ETEs Bortolan e Contorno, fará com que 100% do esgoto coletado na cidade seja tratado.

Trocas de redes

Mantendo a qualidade da água entre a Estação e a casa do consumidor, o DMAE vem realizando a substituição das redes antigas de cimento amianto e ferro fundido por tubulações de PVC e Polietileno de Alta Densidade (PEAD). Com mão de obra própria e contratos com terceirizados, o investimento é de aproximadamente 2 milhões destinados para substituir cerca de 11.000 metros de rede.

As redes de esgoto também estão sendo trocadas, propiciando qualidade de vida aos moradores, como por exemplo, as obras na Rua Magnésio no Jardim Kennedy e próximo ao Córrego do Curtume. O DMAE investiu mais de R$ 17 milhões nos últimos três anos e, em 2019, cerca de R$ 7 milhões, entre recursos próprios e verbas federais já foram investidos em infraestrutura e operações.

Combate às perdas

No combate às perdas, o DMAE instaurou um comitê com essa incumbência e, dentre as propostas, está a harmonia entre os setores de engenharia e manutenção, comercial e de tecnologia da informação, para realizar ações que juntas possam trabalhar na redução do índice de perdas. 

Saneamento rural

O estudo “Pobreza na Infância” da UNICEF de 2019 apontou que mais de 13 milhões de crianças brasileiras são privadas de saneamento básico, sendo a maior parcela residente na zona rural. Buscando combater essa realidade, o DMAE instaurou a Comissão de Saneamento Rural em parceria com o Poder Executivo, promovendo o saneamento básico e o manejo consciente e correto das águas de mananciais e minas. 

Quatro comunidades estão sendo atendidas, cujas demandas são detectadas e as soluções aplicadas, como a instalação de cloradores em escolas, substituições de reservatórios – doados pela autarquia – e manutenção de redes e fossas sépticas, sendo a comunidade envolvida nos processos por meio da educação ambiental. Além disso, há a recuperação de cacimbas e orientações para sanar dúvidas e realizar adequações em relação ao saneamento.

Nova sede

Uma nova sede está sendo gerada, com o objetivo de unir diversos setores em uma única unidade, reduzindo custos, facilitando a vida do consumidor e otimizando os processos burocráticos e operacionais. Outra ação que vai ao encontro desse objetivo é a diminuição de resíduos sólidos produzidos pela autarquia: cerca de 390 mil copos plásticos/ano deixarão de ser utilizados, uma vez que recipientes ecológicos (papel) e canecas foram adotadas no início de novembro.

Servidores

Os servidores passam constantemente por treinamentos realizados em parceria com empresas privadas e com a Assemae, como o curso realizado neste mês. Além disso, um novo plano de cargos e salários está em andamento, buscando modernizar processos, proporcionar agilidade e reconhecer o trabalho dos servidores, principal patrimônio do serviço público. 

Texto e fotos: DMAE Poços de Caldas

Última modificação em Quarta, 22 Janeiro 2020 10:01
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação