25 de Julho, 2017

SAAE Caxias investe em tecnologia e treinamento

Os colaboradores do Saae participaram de curso para combater o desperdício de água na rede de abastecimento da cidade.

Colaboradores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Caxias participam nesta segunda-feira (24) do curso de “Localização de Vazamentos em Tubulações Enterradas”, no auditório da ETA Volta Redonda. O curso faz parte das ações da autarquia de combate ao desperdício de água na rede de abastecimento da cidade.

Com duração de 12h/aula, o treinamento, de programação teórica e prática, utiliza uma tecnologia bastante difundida no país – o aparelho de geofone, um equipamento que se baseia na pressão e no fluxo da água pressurizada para denunciar a área do vazamento.

Conhecido popularmente de “caça vazamento”, o geofone, que significa “escuta no solo” foi a solução encontrada para acabar com o quebra-quebra de ruas e calçadas e proporcionar o reparo de vazamentos de forma mais ágil e limpa. À medida que o barulho que retorna para o fone aumenta, maiores são as possibilidades de localizar o vazamento no perímetro urbano pesquisado.

Para o diretor do SAAE, o engenheiro Arnaldo de Arruda Oliveira, essa tecnologia que está sendo implantada de forma sistemática pelo SAAE/Caxias representa modernização e a preocupação em investir nas pessoas. “Esse curso visa aprimorar nossa equipe que vai estar preparada para fazer medições de ruídos subterrâneos a fim de encontrar vazamentos ou ligações clandestinas, e assim, combater o desperdício de água na rede de abastecimento de Caxias, de forma moderna e eficiente”.

Segundo o instrutor do curso, o gestor ambiental Luís Eugênio de Carvalho, no país, mais de 50% do desperdício de água tratada é provocado pelos vazamentos na rede subterrânea, que passam anos sem ser identificados. “O geofone é uma tecnologia capaz de ajudar nessa captura, porém, ele permite ouvir qualquer tipo de barulho subterrâneo, mas quem vai identificar se esse ruído é um vazamento ou não, é a pessoa que vai manusear o equipamento, ou seja a equipe do SAAE que vai estar nas ruas de Caxias”.Segundo o instrutor do curso, o gestor ambiental Luís Eugênio de Carvalho, no país, mais de 50% do desperdício de água tratada é provocado pelos vazamentos na rede subterrânea, que passam anos sem ser identificados. “O geofone é uma tecnologia capaz de ajudar nessa captura, porém, ele permite ouvir qualquer tipo de barulho subterrâneo, mas quem vai identificar se esse ruído é um vazamento ou não, é a pessoa que vai manusear o equipamento, ou seja a equipe do SAAE que vai estar nas ruas de Caxias”.

Para o colaborador do SAAE que atua há 20 anos como encanador, José de Arimatéia Fernandes, esse treinamento vai possibilitar desenvolver o trabalho na rua com muito mais eficiência. “Esse aparelho vai nos auxiliar com mais precisão e eficiência na hora de localizar um vazamento, com economia de tempo e limpeza, pois a gente vai quebrar menos as ruas e avenidas da cidade. Ganha o SAAE e ganha a população”.

O curso também envolveu um treinamento prático, por meio do qual o grupo testou os conhecimentos adquiridos em sala de aula na rua. O local escolhido para a prática foi a av. Dulcimar Castro, no Residencial Constantino Castro. Os colaboradores do SAAE, com a utilização do geofone, procuraram, identificaram e localizaram os ruídos nas tubulações enterradas na rede de abastecimento de água da avenida.

Fonte: Saae Caxias

 

Última modificação em Terça, 25 Julho 2017 15:23
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação