17 de Dezembro, 2019

Saneamento que dá certo: Araraquara

Aos 50 anos, o Daae cresce em investimentos, obras e melhorias para o saneamento do município. 

A Assemae continua com a publicação de reportagens especiais que exaltam as experiências bem sucedidas de saneamento municipal. Dessa vez, o destaque é o Departamento Autônomo de Água e Esgotos de Araraquara (Daae), em São Paulo. A autarquia é responsável pelo abastecimento de água, esgotamento sanitário e gestão de resíduos sólidos do município, tendo alcançado a marca de R$ 24 milhões de capacidade de investimento em 2019 (16% do orçamento).

A série de reportagens tem como objetivo dar evidência aos associados da Assemae, destacar a qualidade dos serviços municipais e subsidiar as discussões sobre o processo de revisão do marco legal do saneamento básico. Confira a experiência de Araraquara:

50 anos do Daae: um marco na história de Araraquara

O Departamento Autônomo de Água e Esgotos de Araraquara (Daae), em São Paulo, tem como principal missão cuidar de um dos bens mais preciosos para um povo: o saneamento. Desde a captação, que é feita por meio de três represas de captação superficial e 27 poços de captação subterrânea, passando pelo tratamento de duas estações de tratamento de água, até a distribuição de água potável para 100% da população, feita por 1.400 km de rede e 41 reservatórios. O departamento também é responsável por coletar e tratar todo o esgoto gerado na cidade, por meio de 1.200 km de extensão de rede e três estações de tratamento de esgotos e, posteriormente, devolver o efluente tratado à natureza. A coleta e disposição final de resíduos sólidos e a gestão ambiental do município, completam seu escopNesses 50 anos de trajetória, o Daae sagrou-se como um órgão de renome nacional, tendo como marcas o pioneirismo e a modernidade. Isso se deve, principalmente, a sua capacidade de investimento, que passou de R$ 5 milhões (4,78% do orçamento em 2017), para R$ 24 milhões, ou seja, 16% do orçamento em 2019.

Mais de R$ 50 milhões em investimentos

No período de 2017 a 2019, o Daae investiu R$ 51,3 milhões na perfuração de novos poços, construção de reservatórios, na eficiência do tratamento de esgotos e na recuperação de mananciais e áreas de proteção permanente do município.

Entre as principais obras realizadas nesse período, estão as inaugurações de três Centros de Produção e Reservação (CPRs), nas regiões oeste, sul e norte, que aumentaram a produção de água em 680 mil litros por hora e a capacidade de reservação em três milhões de litros, além da construção de mais um CPR na região norte que está em andamento, totalizando o investimento de R$ 15,3 milhões.

Com R$ 5,7 milhões, outra ação prioritária está sendo a recuperação da eficiência de tratamento da Estação de Tratamento de Esgotos de Araraquara, com a retirada de 60 mil m³ de lodo da lagoa de sedimentação, que vinha sendo acumulado desde a inauguração da estação, em 1999. Esse montante também foi investido na aquisição e manutenção dos 32 aeradores das lagoas de aeração e sedimentação, ações tomadas para garantir que a estação opere com eficiência de 80% no tratamento do efluente gerado no município.

O Daae tem trabalhado, ainda, na recuperação de importantes mananciais da cidade, como a represa de captação das Anhumas e a represa do Córrego do Lajeado, que passaram por processo de remoção de vegetação aquática que tomava praticamente todo o espelho d’água delas.

Outra medida importante adotada foi a gestão de controle de perdas, com investimento em subsetorizações, aumentando o números de setores de abastecimento, o que facilita a manobra de registros em caso de vazamentos e melhora o controle do que é produzido e micromedido; implantação de Válvulas Redutoras de Pressão (VRPs) automatizadas que são operadas sem a necessidade de ir a campo; substituição de cerca de 40 mil hidrômetros em toda a cidade; e também a troca de 6,3 km de redes antigas de quatro bairros da cidade – Vila Xavier, Jardim Nova América, Santa Angelina e Santana - com aproximadamente 50 anos de existência, por método não destrutivo.

Garantia de futuro

A prioridade da atual gestão está em garantir a eficiência na prestação dos serviços de saneamento ambiental. Para 2020, está prevista a elaboração do projeto executivo de ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos de Araraquara; a construção da segunda estação elevatória de esgoto do Parque São Paulo, que atenderá cerca de 17 mil habitantes, e a gestão do controle de perdas da região norte, com investimentos de R$ 3,3 milhões, sendo R$ 2,1 milhões recursos vindos de contrato com o Fundo Estadual de Recursos Hídricos e R$ 1,2 milhão de contrapartida do Daae. Há ainda o projeto para perfuração de novo poço profundo com investimento previsto de R$ 900 mil.

Na gestão ambiental, estão previstos três novos Pontos de Entrega de Entulhos e Volumosos – Jardim das Hortênsias, Valle Verde e Maria Luiza; a revitalização das Áreas de Proteção Permanente dos córregos Tanquinho, no Selmi Dei e Pinheirinho, no Parque São Paulo e a reforma e construção do Centro de Educação do Parque do Basalto, totalizando investimentos que passam de R$ 2 milhões.

Na gestão de clientes, o Daae irá investir em torno de R$ 1,8 milhão na adequação do atendimento ao público, buscando melhorar a satisfação dos usuários.

“Nesses 50 anos, o Daae tem garantido a eficiência dos serviços de saneamento no município de Araraquara, abastecendo 100% da cidade com água potável e coletando e tratando 100% do esgoto gerado. Isso só foi possível devido à priorização de seus investimentos e aos servidores que ao longo desse tempo trabalharam com responsabilidade e dedicação, acumulando experiência que hoje são revertidos na prestação de serviços a todos os 230 mil habitantes”, afirma o superintendente da autarquia, Donizete Simioni.

Texto e fotos: Daae Araraquara

Última modificação em Quarta, 18 Dezembro 2019 10:04
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação