09 de Outubro, 2017

Assemae representa municípios em evento

Entidade defendeu a gestão do saneamento municipal e apresentou experiências exitosas

De 02 a 06 de outubro, a Assemae participou do Congresso Abes / Fenasan 2017, que reuniu em São Paulo (SP) profissionais do setor de saneamento básico de todas as regiões do Brasil. Além de contribuir com os debates temáticos, a entidade montou um estande na feira de tecnologias do evento, buscando atender os serviços municipais e interessados pelo fortalecimento da gestão pública de qualidade.

Na terça-feira, 03/10, a Assemae colaborou em quatro debates da programação, sendo representada por integrantes da Diretoria Nacional. O presidente Aparecido Hojaij participou do painel que discutiu os avanços e desafios da Política Federal de Saneamento Básico no Brasil. Na ocasião, Hojaij defendeu maior apoio técnico e financeiro aos municípios, afirmando que o saneamento básico é direito de todos e deve ser tratado como prioridade.

Durante o painel sobre os desafios do saneamento básico em favelas, a 2ª vice-presidente da Assemae, Luciane de Freitas, apresentou o trabalho do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) de Porto Alegre (RS), que implantou o programa Consumo Responsável, com o objetivo de levar água de qualidade às áreas carentes, onde o consumo é, muitas vezes, o triplo da área formal. A iniciativa formaliza as ligações, diminui o desperdício e estimula o uso adequado da água, eliminando os riscos de saúde e organizando a comunidade para a participação social e a educação ambiental.

O 3º vice-presidente da Assemae, Alessandro Tetzner, foi palestrante do debate relacionado à eficiência da operação. Ele ressaltou a expertise de alguns serviços municipais associados à Assemae, os quais se destacam como referência na gestão eficiente do setor de saneamento básico. Um desses exemplos é a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) de Campinas (SP), considerada o primeiro serviço público da América Latina a instalar uma estação de tratamento de esgoto com membranas de ultrafiltração, que produz água com 99% de grau de pureza e sem a utilização de produtos químicos. Além disso, Campinas está prestes a se tornar a primeira cidade com mais de 500 mil habitantes a ter 100% de capacidade instalada para tratamento de esgoto.

O superintendente da Companhia Ituana de Saneamento (CIS), Vincent Roland Menu, que também integra a Diretoria Nacional da Assemae, apresentou a experiência da cidade de Itu, em São Paulo, que remunicipalizou o serviço de saneamento para superar os problemas deixados pelas concessões privadas. Com a criação da CIS em fevereiro de 2017, o município passou a trabalhar na transição da estrutura administrativa e organizacional, buscando resgatar a qualidade dos serviços que os munícipes merecem. Após dez meses de atuação, o serviço público já conquistou a aprovação da maioria da população.

Encerrando a participação da Assemae no evento, o secretário executivo da entidade, Francisco Lopes, foi um dos convidados para o debate que reuniu as principais organizações não governamentais do setor de saneamento. Na oportunidade, o palestrante destacou o compromisso dos municípios com a gestão pública de qualidade, ressaltando que a privatização não é solução para a universalização do saneamento. Segundo ele, os operadores públicos são responsáveis por atender 95% população brasileira, por isso, a necessidade de garantir investimentos públicos permanentes.

Sobre o evento

Com o tema “Saneamento Ambiental: Desenvolvimento e Qualidade de Vida na Retomada do Crescimento”, o Congresso Abes / Fenasan 2017 realizou palestras, painéis de diálogos, visitas técnicas, feira de saneamento básico e apresentações de trabalhos científicos.  O evento foi uma iniciativa da Abes (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental) e a Aesabesp (Associação dos Engenheiros da Sabesp).

Última modificação em Quarta, 11 Outubro 2017 11:16
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2017 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação