09 de Julho, 2020

Saneamento que dá certo: conheça Valinhos

O DAEV investe em obras e melhorias para garantir a qualidade do saneamento no município. 

Encerrando a série de reportagens sobre experiências exitosas de saneamento público, a Assemae apresenta nesta semana os avanços do Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV), em São Paulo. De olho no futuro, a autarquia municipal investiu R$ 24 milhões nos últimos anos, com o objetivo de manter a qualidade do saneamento oferecido à população, garantir a reservação de água tratada e combater as perdas nos sistemas de abastecimento. Confira a experiência de Valinhos:

Valinhos investe R$ 24 milhões para aumentar e manter a qualidade do saneamento

A máxima ‘é preciso investir em saneamento todos os dias’ nunca esteve tão presente na realidade de Valinhos (SP) como nos últimos anos. Depois da experiência do rodízio de água de 2014-2015, quando a região Sudeste viveu a pior crise hídrica dos últimos 100 anos, o Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV) aumentou fortemente os investimentos em captação, tratamento e reservação de água e redução de perdas. As ações buscam atender com qualidade a população estimada em 130 mil habitantes, segundo o IBGE, considerando cerca de 40 mil unidades de consumo do município.

Melhorias no abastecimento de água

No período compreendido entre 2015 e 2020 o DAEV terá investido cerca de R$ 24 milhões em obras como a duplicação da capacidade operacional da Estação de Tratamento de Água (ETA) II, de 170 litros por segundo para 340 l/s. A reservação de água tratada também aumentará em 62%, até o final de 2020, para 23 mil metros cúbicos, com a entrada em operação de mais cinco reservatórios (Imperial, com 1.330m³; R9D, com 1.000m³; Morada do Sol, São Bento, e Santo Antônio, com 600m³ cada, totalizando 5.130m³).

A autarquia também construiu cerca de 5 km de adutora que vai reforçar o abastecimento do bairro Frutal e estabilizar o sistema na região dos bairros São Marcos, Jardim América II, Di Nápoli e redondezas.

Duas lagoas foram desassoreadas: a do Centro de Lazer do Trabalhador (CLT), que aumentou a reservação em 28,4 mil m³ de água bruta, e Cambará, que também contribui com o lençol freático da região onde o DAEV possui cinco poços profundos.

O DAEV perfurou dois poços profundos, ampliou a capacidade da linha adutora e de recalque em 14,4 km, construiu novas elevatórias de esgoto nos bairros Jardim Morumbi e Frutal e constrói atualmente outra do Parque Portugal, além de coletores e interceptores de esgotos. A autarquia substituiu 11,8 km de redes antigas de fibrocimento nos bairros Castelo e Boa Esperança, colocou em operação a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) São Bento, com capacidade de 480 ligações, e reforçou a frota de veículos.

Também foi inaugurado um trecho de 2,2 km da segunda linha de captação de água bruta do Rio Atibaia, aumentando em 17% a capacidade de tratamento da Estação de Tratamento de Água (ETA) II, responsável por 55% do abastecimento do município.

O bairro Parque Valinhos, atualmente abastecido por poços profundos, será interligado ao sistema público de distribuição de água, com a construção de uma adutora de 1,5 km. Já os bairros Country Clube e Vale Verde, que atualmente também são abastecidos por sistemas isolados, serão interligados por uma travessia sob a Via Anhanguera (SP-330) para garantir maior segurança hídrica para toda a região.

O DAEV construiu um túnel pelo processo linner (escavação sob a Avenida Invernada sem interferência alguma na via) como parte de uma série de melhorias para Valinhos. A obra contribui para a proteção do sistema de coleta e afastamento sanitário, evitando com que a água da chuva se misture ao esgoto que desce por gravidade à ETE Capuava.

Ampliação da rede de esgoto

O DAEV ampliou a rede coletora de esgoto doméstico, contemplando mais de 900 unidades de consumo nos bairros Country Clube e São Fernando, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2.

A autarquia entregou a terceira travessia sob a Via Anhanguera (SP-330), por método não destrutivo, possibilitando o escoamento e a futura ampliação das redes coletoras no bairro Joapiranga.

Foram construídos interceptores de esgoto nos bairros Chácaras Silvânia, Joapiranga e Samambaia, possibilitando coleta e afastamento de esgoto de regiões, eliminando elevatórias de esgoto.

O DAEV deve aumentar a capacidade de tratamento de esgoto, que opera próximo do limite, para modernizar a ETE Capuava, com a implantação de sistema terciário e produção de 100% de água de reúso, considerada a mais moderna da América Latina, em parceria com a Sanasa de Campinas (SP). Duas unidades móveis serão compradas para atender emergencialmente a atual demanda e até que a ampliação da Capuava seja finalizada.

A iniciativa surgiu com a parceria entre Valinhos e Campinas, e a supervisão do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (GAEMA) do Ministério Público. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) viabilizará a realização de obras que vão permitir uma melhor qualidade do efluente lançado no Ribeirão Pinheiros, afluente do Rio Atibaia, responsável pelo abastecimento de várias cidades da região.

Investimento em eficiência energética e combate às perdas

Em parceria com a CPFL Paulista, o DAEV implantou um programa de eficiência energética, investindo R$ 1 milhão na troca do sistema de iluminação das unidades, com a instalação de lâmpadas LED, troca de aparelhos de ar condicionado e aquisição de software para a gestão e operação, em tempo real, da rede de água e esgoto. A medida contribui para a redução de perdas e a preservação do meio ambiente. A autarquia recebeu o recurso ao conquistar o primeiro lugar em uma chamada pública lançada pela concessionária de energia elétrica.

Ainda no combate a perdas, o DAEV finalizou uma obra de R$ 3,7 milhões para melhorar a macromedição, com verba do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e contrapartida do município. Além de 52 macromedidores, estão sendo instalados 50 sensores de nível para controle de perdas e de vazão em tempo real e 25 unidades de telemetria e telecomando, que permite ao Centro de Controle Operacional (CCO) monitorar, medir e rastrear os níveis dos reservatórios, prevenindo extravasamentos.

Com esses equipamentos, a autarquia completa o monitoramento de todos os poços e reservatórios em operação, aumentando a eficiência e o desempenho dos sistemas do CCO.

Ações futuras

O DAEV foi classificado para receber R$ 8 milhões do Fehidro em duas importantes obras: R$ 6 milhões para a substituição de 8,5 km de rede de fibrocimento dos bairros Vila Santana, Jardim Pinheiros e Parque Capuava; e R$ 2 milhões para a implantação de sistema de tratamento de lodo na ETA I. Até o final de 2020, deve finalizar a construção, ao custo de R$ 1,2 milhão e bancada com verba própria, o sistema de tratamento de lodo da ETA II, atendendo a exigência da Cetesb e ARES-PCJ.

A autarquia vai unificar os três laboratórios – dois de água e um de esgoto – na Central do DAEV, localizada no Jardim Pinheiros, onde também será construída sua nova sede.

Fonte: DAEV Valinhos

Última modificação em Quinta, 09 Julho 2020 14:13
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação